Traumatismo Dentário - O que fazer?

O traumatismo dentário constitui um dos principais motivos de consulta em Odontopediatria. Aproximadamente 30% das crianças sofre um trauma dentário na dentição temporária, com uma proporção de 2 (meninos) para 1 (meninas).



Este tipo de acidente ocorre com maior incidência entre os 12 e os 36 meses na dentição temporário. É durante este período que a criança começa a aprender a andar e a brincar, estando mais susceptível a quedas, aliada à falta de coordenação motora, curiosidade da criança, bem como, falta de noção do perigo.


No caso da dentição temporária, o traumatismo pode vir a ter sequelas negativas e afetar diretamente a formação dos dentes definitivos, como alteração de cor ou da direção de erupção na arcada dentária. Este tipo de situações não dispensa a visita ao seu médico dentista, de forma a controlar/minimizar possíveis alterações nos dentes definitivos sucessores.


Durante a fase de dentição permanente jovem, as fraturas da coroa dentária são as mais comuns, sendo identificados vários fatores predisponentes como: prática desportiva, acidentes de viação ou violência física.


Os incisivos centrais são os dentes mais frequentemente afetados. A idade da criança, o tipo de trauma ocorrido –intensidade e duração do impacto- e o tempo decorrido entre o trauma e a consulta são aspectos de máxima importância no prognóstico destes casos.


Pais, educadores/professores e auxiliares de educação devem estar atentos a possíveis alterações dentárias e nos tecidos moles orais após um traumatismo, sem dispensar a visita ao médico dentista.


Se um dente permanente jovem fraturar, o fragmento perdido pode ser colado, permitindo uma restituição funcional e estética imediata. O fragmento deve ser colocado num copo com leite, soro, ou então na cavidade oral da criança (entre a bochecha e a gengiva) até à visita ao médico-dentista, idealmente nos primeiros 30 minutos após o acidente.


O mesmo acontece quando há perda do dente por inteiro (avulsão dentária). O dente pode ser colocado na sua posição na arcada dentária pelo médico-dentista, sendo imprescindível também a sua manutenção e transporte num copo com leite, soro ou na cavidade oral da criança até à chegada ao consultório, o mais rápido possível.


Esquema elucidativo de como agir perante um traumatismo dentário: (Fonte: Ordem dos Médicos Dentistas.)

  • White Facebook Icon
  • White Instagram Icon
  • White YouTube Icon
  • White LinkedIn Icon

© GanhaSorriso - Serviços Médicos, Lda